10 de mar de 2008

A VEJA é tosca

No jantar que a Lili Matinho fez, em homenagem, sei lá, à família real, aos 200 anos da chegada do Dom João VI, uma coisa dessas da corte dos Bragança e Orleans (onde foram as pessoas mais cafonas do Brasil) foi do Ziraldo - diante da imagem cover do Napapoleão Bonaparte recepcionando os convivas na porta do palácio, alugado para a Sra da Globo - a melhor das frases:
"faz sentido ser recpcionado pelo Napoleão, afinal foi com ele que tudo começou".




Pra quem não consegue enxergar direito, a capa desta semana da VEJA e a capa da VEJA Extra, onde aparecem o "herói nacional" Dom João e os "cães ferozes" da América Latina, "ameaçando com com guerra o continente". E tem gente que não consegue rir da VEJA, pensando que ela é uma revista de jornalismo e não de humor.

Um comentário:

Anônimo disse...

É uma falta de espírito assustadora!
Rio, mas me preocupo com a quantidade de gente que leva a sério esta revista, sintomas de ignorância, e não só isso, daquele povinho pure-de-batas que deseja manter seu conforto ante a tremenda desigualdade neste país: note o pavor que esta elite sempre teve com a possibilidade de um operário na presidencia.
abs,
Anderson