6 de mar de 2006

pt: alguns tópicos











Pose para fotos: Lula de costas para o Brasil



1 - “Vestir-se de rato para comer o queijo” e ser pego na armadilha, transforma qualquer homem em rato, de qualquer forma. Embora o comum ainda seja a versão mais utilizada e almejada: um bando de ratos vestido de homens, dizendo-se, agora, indignados com a situação.
2 – Está na hora de questionar a cartilha maquiavélica onde está escrito que “os fins justificam os meios”, e que “a verdade deve ser escondida do povo”. Ou, pelo menos, lembrar-se, antes de rezar a cartilha, em fazer uma oração pelos que lutaram até o fim, para que os meios fossem possíveis.
3 – “fazer o bolo crescer para então dividi-lo” era uma das frases que Lula mais gostava de citar, para criticar a política econômica do ex-ministro da ditadura militar Delfim Netto. E, com este mesmo modelo econômico, governa.
4 – Como tratar os picaretas? Pagando-lhes “mensalão” para aprovar emendas supérfluas na constituição? Ou enquadrando-os? De qualquer modo, jamais votariam por reformas estruturais.
5 – Nunca se esquecer quer Hugo Chavez foi tratado como um palhaço quando aqui esteve na posse do Lula. E que a primeira viagem do nosso presidente aos EUA foi para beijar a mão de Bush, que havia mandado um funcionário subalterno para a posse do presidente do Brasil.
6 – Como já dizia, profeticamente, 18 anos atrás, Belchior, o bardo, na música Os Profissionais: “Onde anda o tipo afoito/ que em um nove meia oito/ queria tomar o poder?/ Hoje rei da vaselina/ só toma mesmo aspirina/ correu de carrão pra China/ e já não quer nem saber./”
7 – Ok, vamos admitir que a conquista do governo não é a conquista do poder. Mas em um primeiro momento Lula e o PT podiam contar com um apoio popular e, por mais precário que fosse, organizado, que nenhum outro presidente jamais teve no Brasil.
8 - Subir nas pesquisas à base de praticas assistencialistas não vai tirar o país do buraco.
9 - Não vai haver reforma agrária no governo Lula, porque Lula e o PT nascem, no ABC paulista, dentro do capitalismo industrial. Para eles, tudo não passa de uma questão de classes, onde caberia ao operariado tomar o poder.
10 - No caso de Lula, individualmente, ao unir-se ao PL para ganhar as eleições, essa equação foi amplamente resolvida. Capital e trabalho, agora juntos e de mãos dadas.


Nenhum comentário: