1 de out de 2009

Viva a Revolução!


Fábula Real:
Em 1950 o Brasil tinha 50 milhões de habitantes. 70% vivendo no campo.
Em 2009 tem 190 milhões de habitantes. 92% vivendo nas cidades.
Temos a maior concentração de terras do mundo. Só perdendo para o Paraguai, uma vez que as terras paraguaias são propriedades de brasileiros do agro-negócio.
Nosso país possui 48 milhões de hectares de terras produtivas. Destas, 40 milhões plantam-se soja. Dessa quantidade, 80% é para exportação. Desse montante, 80% serve como ração para boi, porco e galinha na Ásia e na Europa, principalmente.
Para abrir mais campos para exportação de soja, no Brasil, enfia-se o gado no meio das florestas e os bichos vão comendo os brotos das árvores que deveriam nascer, sujando a água, até que, uma vez limpo por debaixo da mata, fica fácil cortar as árvores maiores, vender a madeira e plantar... soja para o engrandecimento do agronegócio, geração de impostos com produtos exportáveis, investimentos em tecnologia de exploração da terra e aumento do progresso, com a criação de estradas, luz elétrica, etc.
Nada para a divisão social dos bens gerados pela terra que, do ponto de vista legal continuam improdutivas, pois não geram riquezas no contexto onde são exploradas. Não produzem benefícios sociais. Não geram renda para outros, senão para os donos dos latifúndios monoculturistas.
Parar de comer carne pode ajudar a reverter essa lógica! Em um país que ainda é essencialmente agrícola e que ainda não fez sua reforma agrária, isto é, de fato, uma Revolução!


foto: Su Tomesen

2 comentários:

duda disse...

Nesta lógica aih , deveríamos parar também de tomar cachaça e os derivados da subsidiada e dos lobbies de congressistas da cana de açúcar.

A questão é agroindústria e latifundio , não apenas a soja.

E o biodiesel ?

Essa semana não muito distante da sua residência:

http://feira.mda.gov.br/

su disse...

muito bom rubens! e boa photo! ;-)