25 de mai de 2006


Movimentos sociais criticam o protesto dos produtores rurais ligados ao agronegócio, realizado em Brasília. Na safra 2004/2005, os grandes fazendeiros obtiveram 5,6 vezes (R$ 39,5 bi) o montante recebido pelas pequenas propriedades (R$ 7 bi), apesar destas últimas responderem por 56,8% da atividade agrícola brasileira.
(retirado de: http://www.terrazul.m2014.net/article.php3?id_article=135)


Do tratoraço dos sojicultores na frente do Banco do Brasil, terça, dia 23 de maio.

“Não quer ajudar, não atrapalha.”
Em relação ao governo

“O movimento não é partidário”
Não foi ironia

Em compensação disseram e reafirmaram que não iriam “arredar pé”. Expressão que gosto muito.
E forram inteligentes em pedir para tirar os cartazes “fora Lulla e Requião” (assim, com dois éles) dos tratores, para não parecer retaliação.

Conclusões:
1 – Se o governador do Mato Grosso e a UDR não estão ligados à partidos quem está?
2 – O dólar que estava a R$ 2,20 no dia 20 de maio subiu para R$ 2,40 no dia 24 de maio.

E o governo lá, deixando a Veja dar chutes na bunda do presidente. E jurando, de pés juntos, que a política cambial não irá mudar por causa da pressão dos fazendeiros.

Nenhum comentário: