2 de mar de 2010

liberdade de expressão

 Recebi um email indignado, dizendo que o governo Lula - Lula grafado com dois ll, para compará-lo ao Collor - dizendo que o governo vem perseguindo, sistematicamente, os jornalistas Boris Casoy, Arnaldo Jabor, Diogo Mainardi e Jô Soares, através de pressões na imprensa para tolherem a opinião 'livre' desses senhores. Pois bem, como o assunto toca na questão da liberdade de expressão, rapidamente devolvi o email recebido, com a seguinte resposta:


Bem, para mim esse seu email tem um erro de princípio, pois sempre vi essas pessoas como agressores e agora são colocados como vítimas do atual governo. Uma coisa é a liberdade de expressão, outra, a defesa de uma ideologia que tem no negócio privado e nas grandes empresas e conglomerados o seu modelo de 'democracia'. A defesa incondicional do lucro leva à exploração e consequente exclusão. Ao formar uma gigantesca massa de miseráveis, não há como manter intactas as estruturas de poder. Como a realidade já não é mais a mesma de 10 anos atrás, onde o neoliberalismo imperava, seus lacaios agora se sentem ameaçados, justificando dessa forma o ataque sujo contra qualquer outra visão de mundo que não a deles e da manutenção de suas benesses.
Basta ver a campanha difamatória contra todos os governos e movimentos populares na América Latina e no resto do mundo, acusados de 'terroristas', mas sem nunca dar direito de respostas àqueles os quais esses mesmos jabores, casoys e mainardis detratam e mais, destratam, com falta de respeito absoluto e parcialidades que chega ao escancaramento. O flagra recente em Casoy que, do alto de sua soberba, humilhou os garis, não é uma exceção, é uma regra. É assim que essa gente pensa. Mas, para aqueles que veem nele um portador da 'verdade' que está sendo 'oprimido' pelo governo Lula (aliás, sua demissão do
Band não passa pelo governo Federal), o consolo é que o governador de São Paulo, o neoliberal José Serra, candidato às próximas eleições presidenciais, está contratando o âncora para a TV Cultura de São Paulo. Não é por falta de emprego que ele vai deixar de expôr suas opiniões reacionárias para um público entorpecido. Isso sim é que é saber usar o Estado! Ou seja, transformá-lo em um veicúlo de uso a serviço da privatização. Pô, sejamos francos, o Jô é chato pra caramba, não perca seu precioso tempo com ele. Tá na hora desses caras largarem o ossinho e, de fato, que possa haver, pelo menos, renovação de quadros no espaço que eles ocupam.
É bom não acreditar em tudo o que a grande mídia e seus lacaios veiculam. Pelo menos não até que se coloquem uma outra visão que não a dos que acusam. É como uma piada sobre as coisas que aconteciam na época da ditadura, que o torturado foi morto porque seu queixo machucou a mão do torturador quando este lhe socou. A única diferença é que esses caras se travestem de democratas.


Ao mesm tempo que escrevo esse texto, recebo noticias da fundação da ALTERCOM, com o seguinte propósio:

Empresários, empreendedores individuais, estudantes, professores e ativistas da área da comunicação criaram sábado (27), em São Paulo, a Altercom – Associação Brasileira de Empresas e Empreendedores da Comunicação. Conforme ficou definido no encontro realizado durante todo o dia de sábado, a entidade terá como objetivo central defender os interesses políticos e econômicos das empresas e empreendedores de comunicação comprometidos com os princípios da democratização do acesso à comunicação, da pluralidade e da liberdade de expressão. Não a liberdade apenas para uns poucos grandes grupos midiáticos, como ocorre hoje, mas sim para a maioria da população que não tem respeitado hoje o direito à uma informação de qualidade.


Ao mesmo tempo em que:

Grande mídia organiza campanha contra candidatura de Dilma : Em seminário promovido pelo Instituto Millenium em SP, representantes dos principais veículos de comunicação do país afirmaram que o PT é um partido contrário à liberdade de expressão e à democracia. Eles acreditam que se Dilma for eleita o stalinismo será implantado no Brasil. “Então tem que haver um trabalho a priori contra isso, uma atitude de precaução dos meios de comunicação. Temos que ser ofensivos e agressivos, não adianta reclamar depois”, sentenciou Arnaldo Jabor.

01/03/2010

Vai lá:

http://cartamaior.com.br/templates/materiaMostrar.cfm?materia_id=16411

Um comentário:

Ricardo Corona disse...

fala, rubens. com esses caras é só na porrada. por mim poderiam cortar as suas línguas e estava tudo bem. há décadas ouvimos essa mesma salivação, de bial a jô soares, de jabor a casoy. revesar é q é democracia.