6 de jan de 2009

poema

Dia de chuva

Nabuco do osso chupava o muco
o mico do saco tirou um bicho
da terra da arara ate' aranha tem bico
e’ fogo e’ foda e’ fosso
do fundo mundo da cacca
nasceu o gerente dessa carcacca
agora mocco de sorte
encontrou a morte vadia
cai’da de alegria
danccando carnaval
na pracca

Levantemos entao a tacca
Que o penta e’ nosso
Viva o povo que trabalha
Sobre a cinza dos destroccos

Vai sobrar Nada
E Nabuco do osso
a flauta vai tirar
O oco eco soa
Ela viaja ao cubo
Veja aonde isso vai dar:
Cerveja, barzinho, mais ou menos ria
Chover era a cara daquele
dia.


(acento na frente porque nao tem acento encima. Cc quer dizer cedilha / defeitos me salcvarao do erro!)

Nenhum comentário: