27 de nov de 2008

cinismo reacionário via e-mail

Intitulado "curriculum da futura presidente do Brasil", um email se dissemina pela internet, mostrando a ficha policial, à época da ditadura militar, da ministra Dilma Roussef, assinalada como "terrorista" e mostrando suas atividades "ilegais" e assaltos à bancos que teria praticado.

Minha resposta:

Se ela conseguir diminuir um pouco o lucro dos banqueiros e distribuir essa riqueza com a população do país, já está bom.
Acho que deve ser levado em conta o período em que ela cometia tais ações, porque quando ela foi presa ela foi torturada como comunista e não tratada como ladra comum, assaltante de bancos. E se é para ficar de algum dos lados, pior os golpistas do regime militar, que querem anistia para seus crimes de tortura e repressão e não admitem serem julgados pelos crimes de excessão que cometeram no período. Violência que o Estado brasileiro não contempla em sua constituição. Privaram o direito de expressão da sociedade por medidas repressivas como o AI5 e o resultado foi um desastre que ceifou a vida de milhares de jovens, à época, prendeu muitos, além de outros que foram expulsos do país. Torturas físicas e psicológicas. Traumas que levaram muitos ao suícidio e até hoje é uma ferida aberta na consciência do país. Por sorte essa aí sobreviveu.
Chega de "marcha com deus com a família pela tradição, família e propriedade". Essa marcha a ré é o que menos o Brasil precisa, hoje em dia, quando parecem abrir alguns horizontes no cenário latino, americano e até mundial, de que a "mão invisível do mercado" - essa que, entre outras coisas, tirou um presidente eleito democraticamente pelo povo para colocar uma junta militar no poder - começa a perder um pouco de seu peso sobre a construção de nossas vidas.
Deixa começar a campanha eleitoral, vamos ver o que ela tem a nos propor como projeto para o país. Até porque esse tipo de anti-propaganda reacionária sobre a ministra ou sobre qualquer pessoa que tenha vivido aqule momento infeliz do nosso passado, acaba dando argumento para extremismos. E isso não precisamos, no momento. Juizo não se compra na farmácia. E nem se leva na porrada.
Claro, melhor que conheçamos o histórico de cada candidato e quais os interesses que defendem cada um, mas quando vem um spam desses, de ironia cínica, com a imagem intitulada "curriculum" e a mensagem do post "Nossa futura Presidente do Brasil!!", isso fica parecendo que querem que a gente se torne cúmplices de operações como as feitas pelo DOI-CODI e outros orgão de repressão. E isso é muito deselegante. E, quem cala, consente. A não ser em situação de repressão, em que é obrigado a se calar.

Nenhum comentário: